Os riscos de economizar em avaliações quantitativas

 Em SST

Na área de Saúde e Segurança do Trabalho, as avaliações quantitativas são aquelas realizadas para avaliar os riscos ocupacionais e entender se eles realmente são insalubres ou periculosos aos trabalhadores ou não.

Leia também:
– As 10 profissões mais perigosas do mundo
– Número de mortes por acidentes de trabalho volta a crescer no Brasil
– Qual a função de uma empresa de segurança do trabalho?
– Segurança do trabalho em pequenas e médias empresas
– Brasil: a 4ª nação com mais acidentes de trabalho 

Para que seja realizada corretamente, seguindo as legislações, instruções técnicas e boas práticas, essa avaliação deve envolver um planejamento, uma metodologia e também um desenvolvimento adequado.

No Brasil, a principal metodologia vigente para a avaliação de agentes ou riscos ocupacionais sãos as Normas de Higiene Ocupacional (NHOs), criadas pela Fundacentro.

Neste trabalho de avaliação são realizadas medições que, depois, são comparadas com os limites de tolerância previstos principalmente na NR-15 ou seguindo as diretrizes da American Conference Governmental Industrial Hygienists (ACGIH). É importante lembrar que a quantidade de amostras varia de acordo com o agente avaliado.

Apesar de essencial e obrigatória, muitas empresas acreditam que não realizar as avaliações quantitativas representa uma forma de economizar dinheiro. Porém, ao tomar essa atitude, elas podem ficar sujeitas a terem gastos ainda maiores. Afinal, as avaliações de risco malfeitas (ou pior, não elaboradas) podem fazer com que os agentes não sejam identificados e controlados, ocasionando diversos tipos de problemas.

Adicional de insalubridade

O adicional de insalubridade é um instrumento legal de compensação aos trabalhadores que atuam expostos aos agentes nocivos, ou seja, que trazem riscos à sua saúde de alguma forma.

Este benefício é reconhecido pelo Ministério do Trabalho e está previsto nos artigos 189 e 197 da CLT. Além disso, este assunto é apresentado também pela “NR-15 – Atividades e operações insalubres”, que determina quais elementos em um ambiente são considerados agentes de riscos e, portanto, passíveis de gerar prejuízos aos colaboradores.

Segundo esta Norma Regulamentadora, devem receber o adicional de insalubridade, os trabalhadores que atuam em ambientes que envolvem:
Avaliação quantitativa - Ballardin Engenharia ruídos contínuos e de impacto;
Avaliação quantitativa - Ballardin Engenharia calor e frio;
Avaliação quantitativa - Ballardin Engenharia radiações ionizantes e não-ionizantes;
Avaliação quantitativa - Ballardin Engenharia condições hiperbáricas;
Avaliação quantitativa - Ballardin Engenharia vibrações;
Avaliação quantitativa - Ballardin Engenharia umidade;
Avaliação quantitativa - Ballardin Engenharia agentes químicos;
Avaliação quantitativa - Ballardin Engenharia poeiras minerais;
Avaliação quantitativa - Ballardin Engenharia agentes biológicos.

Pessoa fazendo as avaliações quantitativas de uma empresaÉ importante destacar, no entanto, que, para cada tipo de risco existe um parâmetro específico dentro da norma. Por exemplo, as atividades que envolvem o risco de ruído contínuo, só são consideradas insalubres, caso a relação entre o nível de ruído e o tempo de exposição sejam altos. Isso significa que, se um trabalhador atua em um ambiente com níveis altos de ruídos, mas durante um curto período de tempo, ele não se encaixa nos critérios determinantes para receber o adicional de insalubridade.

É por isso que realizar as avaliações quantitativas é tão importante. Pois é somente com a observação atenta de profissionais capacitados para isso, que se torna possível definir o que realmente é um fator de risco e de que forma ele deve ser pago aos funcionários.

Adicional de insalubridade x Economia

Como dissemos acima, para economizar, algumas empresas optam por não realizar as avaliações quantitativas de riscos ou ainda contratam esse serviço de empresas que não estão comprometidas em oferecer um bom trabalho, mas, por cobrarem um valor mais baixo, conseguem fechar vários contratos. O que a empresa contratante não sabe, no entanto, é que esse tipo de economiza, no final das contas, pode custar bem cara.

Por exemplo, uma organização precisa realizar a avaliação ambiental de seu negócio e pede orçamentos para duas empresas de SST diferentes: uma cobra R$15 mil e, a outra, R$ 10 mil. Mais interessada em conter gastos do que oferecer aquilo que os seus funcionários realmente precisam, ela acaba contratando a opção mais barata e economizando R$ 5 mil reais.

Porém, se a avaliação malfeita constatar que o adicional de insalubridade é desnecessário, por exemplo (quando, na verdade, deve sim ser pago), a empresa pode perder muito mais que R$ 5 mil ao sofrer um processo na justiça e ter que indenizar os funcionários – sem falar em todos os fatores relacionados aos direitos privados, que podem exigir ainda mais gastos por parte da empresa.

Por que realizar avaliações quantitativas com especialistas é tão importante?

Como diz o ditado, em alguns casos, o barato pode sair caro, principalmente quando o assunto é equipe de funcionários. Se você quer conter gastos na sua empresa, estude outros setores e medidas que não irão comprometer a saúde e integridade física de seus colaboradores, nem a imagem da sua empresa diante do mercado, mas nunca desvalorize ou subestime a importância da área de SST.

No caso das avaliações quantitativas em específico, ao invés de economizar na etapa de implantação das medidas e pagamentos do adicional de insalubridade, conte com o apoio de uma empresa especializada em avaliação de riscos, que saberá como levar em consideração todos os critérios técnicos e a realidade dos ambientes de trabalho para evitar, assim, que hajam problemas e gastos ainda maiores no futuro.

Se você precisa de ajuda para fazer a avaliação ambiental do seu negócio, entre em contato com a Ballardin Engenharia. Nós temos mais de 15 anos de atuação e experiência com a realização de centenas de avaliações quantitativas!

Posts recomendados

Deixe um comentário

cumprimento de mão para selar novas parceriasEngenheiro em Segurança do Trabalho analisando papéis