É dada a largada da CANPAT 2018

 Em Doenças Ocupacionais

O Brasil possui um alarmante índice de acidentes de trabalho. Segundo alguns dados preliminares divulgados pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), em 2017, foram concedidos 196.754 benefícios a trabalhadores que, devido a algum problema de saúde ocasionado pelo trabalho, precisaram ser afastados de suas atividades profissionais por mais de 15 dias. Ou seja, somente no ano passado, foram registrados 539 afastamentos por dia no Brasil.

Leia também:
+ Qualidade de vida no trabalho: mais produtividade para a sua empresa
+ Brasil: a 4ª nação com mais acidentes de trabalho
+ Como a assessoria em segurança do trabalho pode ajudar a sua empresa?  

A fim de mudar essa triste realidade e garantir mais saúde e segurança aos trabalhadores brasileiros, o Ministério do Trabalho promove todos os anos a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho – CANPAT.

Embora o objetivo desta campanha, que normalmente é realizada durante o mês de abril, seja alertar a população sobre as mais diversas situações que possam colocar em risco a saúde e segurança do trabalhador, é normal que um tema seja escolhido para receber mais destaque ao longo das ações realizadas. Neste ano, no entanto, a CANPAT conta com algumas novidades: o planejamento do projeto será estendido até o mês de novembro e dois temas serão discutidos com mais foco ao longo desses meses de atividades, que são as doenças ocupacionais e as quedas com diferença de nível.

CANPAT 2018Doenças ocupacionais

Quando se fala em profissionais afastados de suas atividades por causa de acidentes de trabalho, fica fácil diagnosticar o problema. Afinal, os acidentes costumam envolver problemas como fraturas, luxações, ferimentos e amputações – casos que podem ser facilmente observados e, de forma geral, tratados.

No caso das doenças, no entanto, a realidade é um pouco diferente. Embora possam apresentar danos permanentes à saúde do trabalhador, nem sempre os adoecimentos em decorrência do trabalho são de fato diagnosticados como doenças ocupacionais. Prova disso são os baixos números de CAT’s relacionadas ao adoecimento de trabalhadores. Em 2017, por exemplo, foram emitidos 349.579 CAT’s, dentre elas, apenas 8.798 foram registradas como doenças.

O que o MTE busca, então, a partir da CANPAT 2018 é tornar as doenças ocupacionais mais conhecidas e fazer com que elas recebam a devida atenção dentro dos ambientes de trabalho. Afinal os riscos que elas representam à saúde dos trabalhadores podem ser irreversíveis.

Tipos de doenças ocupacionais mais comuns

É considerada doença ocupacional qualquer alteração biológica ou funcional que ocorra no organismo em decorrência do trabalho. Entre os principais motivos que levam os trabalhadores a desenvolverem algum tipo de doença estão a sobrecarga física ou mental e a exposição a riscos químicos, físicos e biológicos.

Entre os números preliminares divulgados pelo INSS é possível identificar as doenças ocupacionais que tiveram o maior número de afastamentos ao longo de 2017, que são a dorsalgia (a conhecida dor nas costas) e as lesões no ombro, que tiveram mais de 12 mil e 10 mil afastamentos, respectivamente.

Além dessas doenças, na lista de principais causas de afastamento por adoecimento ocupacional também aparecem hérnias, varizes, tuberculose, inflamações nas articulações, estresse, depressão, ansiedade, entre outras.

Quedas

As quedas com diferença de nível, ou seja, as quedas de trabalhadores de locais altos, como andaimes, escadas e plataformas também receberão atenção especial na CANPAT 2018 – e é claro que a escolha não foi por acaso.

De forma geral, as quedas com diferença de nível não fazem parte dos acidentes de trabalho mais recorrentes no Brasil, o que torna, então, este assunto de extrema importância é a sua gravidade, já que esse tipo de acidente de trabalho é um dos que mais apresentam consequências graves ou fatais.

De acordo com os dados preliminares divulgados pelo INSS, das 349.579 CAT’s registradas em 2017, mais de 37 mil estão relacionadas à queda de altura. Outro dado que revela a urgência com que as quedas devem ser tratadas é o fato de que, no ano passado, foram registradas 1.111 mortes causadas por acidentes de trabalho e, dentre elas, 161 foram causadas pela queda de trabalhadores.

CANPAT: ações e resultados

Desde o início da CANPAT 2018, no começo de abril, até o mês de novembro, o MTE irá promover uma série de ações em todo o Brasil, com o intuito de conscientizar a população sobre as doenças ocupacionais, as quedas de altura e os demais acidentes que comprometem a saúde e segurança dos trabalhadores.

Porém, é importante lembrar que questões como essas não devem ser priorizadas apenas durante o período de vigência da CANPAT 2018. Levar a informação sobre como prevenir acidentes dentro do ambiente de trabalho, adotar práticas prevencionistas e levar a saúde e segurança do trabalho a sério deve ser uma prioridade constante de qualquer empregador e empregado.

Isso porque, ainda que haja um grande empenho do MTE para gerar a conscientização, a mudança do cenário brasileiro, no que diz respeito aos acidentes de trabalho, só irá acontecer quando as empresas e os trabalhadores começarem, de fato, a destinar a devida atenção a esse assunto.

Como fazer a diferença

Embora a situação da segurança do trabalho seja crítica no Brasil, fazer a diferença pode ser mais fácil do que as pessoas imaginam: basta que cada empresa se responsabilize pela vida de seus trabalhadores e forneça a eles todo o suporte para a realização de suas atividades, que inclui o investimento em treinamentos de capacitação e atualização, a elaboração de documentos, o fornecimento de equipamentos de proteção individual e coletiva, a adoção de práticas prevencionistas, entre outras ações.

Se o seu negócio ainda não atende a todos esses quesitos (que são obrigatoriamente exigidos pelo MTE) ou precisa de apoio para aperfeiçoar algum ponto da segurança do trabalho, contar com o apoio de empresas especializadas nesta área pode ser a melhor solução.  A atuação de profissionais habilitados e altamente capacitados torna possível identificar as necessidades de cada negócio e implantar as melhores alternativas, não apenas para atender as determinações das leis, como também para colocar a saúde e segurança de cada trabalhador em primeiro lugar durante a realização de suas atividades.

Sendo assim, se o seu negócio precisa do apoio de uma empresa especializada em segurança do trabalho, conte com a Ballardin Engenharia! Com mais de 15 anos de atuação, realizamos um trabalho de gestão personalizado para as necessidades de cada empresa, realizamos palestras para SIPAT ou outros eventos e disponibilizamos mais de 40 cursos nas modalidades presencial, semipresencial e on-line.

Entre em contato, conheça mais sobre a nossa empresa e descubra como, juntos, nós podemos mudar a segurança e saúde do trabalho no Brasil.

 

Posts recomendados

Deixe um comentário

Homem estressado no trabalho